Novas & velhas tendências do cinema português contemporâneo

  • investigador(es) responsável(eis)
  •  
  •  
  • A+A-

João Maria Gomes Ribeiro Mendes
jmendes@ciac.pt

Ana Isabel Candeias Dias Soares
asoares@ciac.pt

Vítor Reia-Baptista
vreia@ciac.pt

Jorge Lobato Peres Jácome Martins

Vanessa Sousa Dias

Maria de Fátima Chinita da Mata

Jorge de Sá Gouveia

Luís Alexandre de Jesus Falcão

Marta Simões

Miguel Cipriano

Investigação sobre a cultura organizacional do cinema português contemporâneo, pretende analisar, de modo sistemático, filmes de longa-metragem e documentarios produzidos em Portugal nos últimos 20 anos comparando a sua tipologia e identidade dentro do contexto das principais tendências do cinema internacional contemporâneo.
A primeira fase produzirá um balanço crítico do cinema realizado em Portugal nos últimos dez anos, partindo da hipótese de que a cultura organizacional do cinema português contemporâneo parece não o ajudar a atingir os objectivos que poderiam ser os seus; e este juízo faz-se em função, quer das condições e da situação objectiva em que os filmes são realizados, quer em função da integração e forma de trabalhar das diversas competências necessárias à passagem a um outro patamar de qualidade, quer em função dos resultados alcançados. Por cultura organizacional entende-se a percepção, ou imagem de si, que determinado grupo tem do conjunto dos modos de produção característicos das organizações, grupos de organizações ou corporações com que está envolvido, quando vistos à luz das metodologias de desenvolvimento de projectos, do domínio dos equipamentos técnicos requeridos e das sinergias de articulação das competências e dos recursos humanos disponíveis. Existem, assim, diversos tipos de cultura organizacional, bem como diversos tipos de transmissibilidade dessa cultura. Uma cultura corporatista e artesanal tem pouco em comum com uma cultura industrial, e também são distintas as formas de evolução de uma e de outra, bem como a sua transmissibilidade. No caso  do cinema — arte e indústria — o domínio das technê artísticas envolvidas e a sua evolução, no quadro comparativo da diversidade que o caracteriza, é um traço decisivo na configuração da cultura organizacional.

Entrevistas com realizadores e produtores portugueses.

Livro elecrónico com os resultados, disponível nesta plataforma


Ligações
http://pwp.net.ipl.pt/sc/gportela/livro.pdf

Ágata Pinho

André Gil Mata

António Câmara

David Cortegaça

Fátima Chinita

Guilherme Trindade

Helder Moreira

Joana Beleza

José Moeda (CIAC/UALg)

José Rato

Jorge de Sá Gouveia

Levi Martins

Lídia Queirós

Luís Falcão

Marco Amaral

Paulo Leite

Pedro Vaz Simões

Rosário Oliveira

René Alan

Jacques Lemière (Université de Lille)
Ana Isabel Soares (CIAC/UALg)
José de Matos-Cruz (ESTC)
Vítor Reia-Baptista (UALg/CIAC)

| pesquisar ciac

| siga-nos